Virginia Satir

Virginia Satir (1916- 1989) é por muitos considerada como uma das figuras mais importantes dos métodos modernos da ‘terapia’ sistêmica familiar. Aclamada internacionalmente como terapeuta, palestrante, trainer e escritora, Satir foi uma das pessoas do grupo original de terapeutas excepcionais modeladas por Bandler e Grinder a fim de criar o Meta Modelo e outras técnicas básicas da PNL. Seu primeiro livro, Conjoint Family Therapy, publicado em 1964, permanece um clássico no seu campo e já foi traduzido em diversas línguas. Ela escreveu e participou em outros onze livros, entre eles Peoplemaking (1972) e Changing with Families (1976), em coautoria com os criadores da PNL Richard Bandler e John Grinder.

Satir começou suas atividades trabalhando com famílias no Dallas Child Guidance Center e por quatro anos no Illinois State Psychiatric Institute. Em 1959, Virginia foi convidada para juntar-se a Don Jackson, Jules Raskin e Gregory Bateson para começar o prestigioso Mental Research Institute em Palo Alto, na Califórnia. Juntos, eles criaram o primeiro programa nacional em Terapia Familiar.

Como terapeuta e professora, Satir era conhecida por sua simpatia especial e por seu extraordinário insight na comunicação humana e autoestima. Por volta dos anos 70, Satir viajava e ensinava as pessoas ao redor do mundo através dos seus livros, workshops e seminários de treinamento.

A primeira vez que Richard Bandler encontrou Virginia Satir foi no início da década de 70, quando ele estava trabalhando com a editora dela, Science and Behavior Books, editando as anotações de Fritz Perls para o livro Eyewitness to Therapy. A companhia editora decidiu lançar um livro similar sobre o trabalho de Satir, e contratou Bandler para gravar um workshop dela no Cold Mountain Institute, perto de Vancouver. De acordo com Bandler, ele não prestou atenção consciente para o que Satir estava ensinando, se concentrando na gravação. (Conta a lenda que Bandler controlava o nível do som da gravação num ouvido, enquanto ouvia Pink Floyd no outro.) Entretanto, no final do workshop, quando Satir estava testando e supervisionando os participantes com relação ao que eles haviam incorporado do trabalho dela, Bandler se deu conta que ele sabia muito mais do que qualquer outro participante. Ele a tinha modelado “implicitamente” ao distrair sua mente consciente com a gravação. Impressionada com as habilidades dele, Satir começou a trabalhar para que Bandler se tornasse um terapeuta.

Junto com John Grinder, Bandler modelou explicitamente os métodos terapêuticos de Satir, descrevendo-os nos livros Estrutura da Magia, volumes I e II (1975-1976) e Changing with Families (1976). Algumas das mais importantes técnicas da PNL, como predicados verbalmente combinados do sistema representacionalressignificação e negociação entre partes foram diretamente inspiradas nas habilidades e procedimentos terapêuticos de Satir.

Uma marca registrada do trabalho de Satir, por exemplo, era treinar as pessoas para contatar e interagir com as partes internas delas mesmas, especialmente as partes modeladas dos membros familiares. Ela desenvolveu a técnica de realizar uma “festa das partes” na qual uma pessoa poderia designar outras pessoas para ‘tomar o lugar’ das várias partes dele ou dela mesma. Cada jogador representaria as características da ‘parte’ particular que ele ou ela estava apresentando. As chamadas “posturas de Satir” (Acusador, Apaziguador, Congruente eEvasivo) foram utilizadas como modelo para treinar as pessoas a representar e melhor entender os aspectos importantes das suas partes e dos membros familiares. O grupo de ‘partes’ iria realizar as reuniões e ficar comprometido com os diálogos sobre tópicos ou decisões particulares, treinados por Satir. Essas reuniões das partes também implicariam na escolha de um tipo de “presidente” cujo papel era facilitar a reunião ao estar em “meta posição” em relação a eles.

Em 1977, Virginia Satir reuniu um grupo de associados para formar uma organização para lhe auxiliar a expandir e a propagar os princípios básicos do seu trabalho. Ela chamou a organização de AVANTA, que significa “mover para frente” em latim. Atualmente Avanta tem 250 membros em cerca de 18 países, bem como 13 grupos afiliados. Oriundos de diversos campos profissionais e estilos de vida, eles suportam a missão da Avanta com o seu tempo, energia e recursos.